School.FernandoTavares

Educação é para todos...

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Geral

Recomendação 1/2016 CNE

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Foi recentemente publicada a Recomendação 1/2016 (em anexo) do Conselho Nacional de Educação onde são abordadas questões importantes relacionadas com a função docente.

Gostaria de emitir aqui algumas recomendações Fernando Tavares:

  • Considerando os naturais desejos e anseios de docentes e demais funcionários públicos espoliados consecutivamente em anos recentes;
  • Considerando o que está consignado no Estatuto da Carreira Docente;
  • Considerando as recomendações do CNE;
  • Considerando as necessidades inerentes ao desempenho da minha ação como docente de forma a concretizar a minha missão;

RECOMENDO:

  1. Que se recentre a missão e a função docente no processo de ensino/aprendizagem, o que implica definir, com clareza, as funções e as atividades que são de natureza letiva deixando as que são de outra natureza para outros atores que não os docentes!

  2. Que nos assegurem como parte integrante do trabalho do professor uma componente destinada ao uso e desenvolvimento, individual e coletivo, de processos de ensino e de aprendizagem de alta qualidade e de metodologias de investigação que proporcionem uma permanente atualização. Para isso precisamos de tempo, local e condições de trabalho na Escola e no nosso horário.

  3. Que nos diminuam as tarefas burocráticas que ocupam tempos necessários para assumir em pleno as funções docentes, exigidas pela nova realidade pedagógica criada pelos “ajuntamentos” desproporcionados de escolas os chamados agrupamentos e mega-agrupamentos.

  4. Que se tenha em conta na determinação do serviço docente a evolução profissional, valorizando o conhecimento e a experiência profissionais e reconhecendo a necessidade do trabalho em equipa, introduzindo medidas estimuladoras na base de um projeto pedagógico contratualizado e avaliado nos dois sentidos (todos devemos prestar contas).

  5. Que se promova um processo de formação contínua que articule e torne coerente o desenvolvimento profissional docente com os permanentes desafios colocados à escola, devendo a nossa organização (como acontece com qualquer boa organização) investir adequadamente na nossa formação proporcionando-nos formação adequada, pertinente e gratuita.

  6. Para evitar o  “Envelhecimento crescente e constante do corpo docente das escolas” nos permitam a reforma nos moldes em que estava definido quando assinei contrato com o Estado Português – 36 anos de serviço, permitindo-se assim o rejuvenescimento e diminuição do desemprego e precaridade dos docentes.

  7. Que os encarregados de educação, alunos e sociedade valorizem e respeitem o trabalho dos docentes, contribuindo para a promoção do sucesso dos alunos, percebendo-se de uma vez por todas que o financiamento de uma BOA EDUCAÇÃO é um investimento e não um custo!

  8. Que os alunos estejam interessados em aprender, evoluir e ajudarem-nos a evoluir!

  9. Que permitam a todos os alunos, docentes e outros agentes educativos, salas de aula e locais de trabalho com as condições adequadas ao seu desempenho. É uma vergonha passarmos frio,  os alunos terem que pedir folhas de papel higiénico, não termos materiais de laboratório para proporcionar o que vem definido no manuais e programas e outras situações semelhantes.

  10. E por último … que nos “DESCONGELEM” já que estamos em período de frio e não gosto de estar “congelado” desde 2004! Talvez isso contribuísse para a minha motivação intrínseca como docente!

 

BOAS FESTAS PARA TODOS

Uma escola que brinca, pula e dança

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Mais um excelente artigo em que se apresentam dados concretos acerca da correlação entre a necessidade de mais atividade física e o sucesso escolar.

"A aptidão física está associada ao rendimento académico?

Num estudo realizado em Portugal com 1286 alunos do 3.º ciclo do Ensino Básico, avaliou-se a aptidão cardiorrespiratória (capacidade para se captar, transportar e utilizar o oxigénio permitindo realizar as actividades do dia-a-dia com menor esforço) e o rendimento académico dos alunos ao longo de três anos. No final do estudo, os alunos com maior aptidão cardiorrespiratória eram os que tinham notas mais elevadas em quatro disciplinas centrais (ver infografia, adaptada do artigo Longitudinal Relationship between Cardiorespiratory Fitness and Academic Achievement.2016 Sardinha LB, Marques A, Minderico C, Palmeira AL, Martins S, Santos DA, Ekelund U. Med Sci Sports Exerc 48:839-44.)

Recomendações

As crianças e jovens a partir dos 5 anos devem acumular pelo menos 60 minutos/dia de actividade física de intensidade no mínimo moderada. Pode ser conseguido através de jogos e brincadeiras activas livres e não estruturadas (sobretudo até aos 7-8 anos) ou da prática de um ou vários desportos, andar de bicicleta, nadar, ou dançar; dentro e fora da disciplina de Educação Física. É também importante a inclusão de actividades de intensidade mais vigorosa, e das que estimulam a força muscular, pelo menos 3 vezes por semana. O tempo total de écran de natureza recreativa (incluindo ver televisão) deve ser limitado a menos de 2h por dia a partir dos 5 anos. Até lá, deve ser evitado (0-2 anos) ou limitado a menos de 1 hora (2-4 anos)."

A ler aqui no Público o artigo completo.

A matemática e os novos meios de aprendizagem

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Os novos meios ao serviço do ensino da matemática

Provas de aferição em todas as áreas do currículo do Ensino Básico

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

O Ministério da Educação anunciou às escolas, o documento que designou de modelo integrado de avaliação externa das aprendizagens no Ensino Básico. Apresenta aí  os processos de aferição nos 2º, 5º e 8º anos de escolaridade e provas de finais de avaliação (Português e Matemática) no 9º ano de escolaridade.

Estão contempladas provas de aferição, para todas as áreas do currículo de modo a evitar o designado estreitamento curricular.A partir de 2016/2017, as provas de aferição do 5.º e do 8.º anos de escolaridade incidirão, rotativamente, sobre outras áreas do currículo, prevendo-se também, em algumas disciplinas, a inclusão de situações práticas nos instrumentos de avaliação. A partir de 2016/2017 realiza-se uma  prova na designada área das Expressões (que inclui expressão físico motora).

Livros gratuitos FFMS

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A Federação Francisco Manuel dos Santos promove um conjunto de conferências, debates e lançamentos temáticos no âmbito do Mês da Educação.

Para além de ser um programa interessante disponibiliza em pdf os livros aqui apresentados (para efetuar o download lique na imagem):

Pág. 1 de 7

Sobre o site

Novos visitantes hoje:4
Novos visitantes ontem:12
Visitantes43038
Visualizações hoje:447
Total de visualizações:559798
Desde:2011-10-24

Visitante atual

United States

Unknown Bot
Your IP: 54.224.17.157

Quem está Online

Temos 24 visitantes em linha

Onde estão?

You are here Educação Geral
Copyright © 2018 www.school.fernandotavares.com.pt. Todos os direitos reservados. Designed by JoomlArt.com. Joomla! é um Software Livre sob licença GNU/GPL.